Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

| June 26, 2017

Scroll to top

Top

REGULAMENTOS E REGRAS OFICIAS

REGRAS OFICIAIS DA CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE KYOKUSHINKAIKAN NAS MODALIDADES: MUAY THAI & THAI-KICKBOXING KYOKUSHINKAIKAN

REGRAS OFICIAIS DO TORNEIO

Dependendo do Torneio e da qualidade dos atletas, poderemos ter lutas casadas ou na forma de GP.
Dependendo do Torneio teremos:
Atleta Iniciante: 02 Round de 2 minutos X 01 minuto de descanso.
Atleta Intermediário: 03 Round de 2 minutos X 01 minuto de descanso.
Atleta Avançado: 03 Round de 03 minutos X 01 minuto de descanso
Atleta Profissional: 03 Round ou 05 Rounds de 03 minutos X 01 minuto de descanso.

VESTIMENTA E EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO

  • O Lutador deverá usar apenas calção apropriado para a prática do Muay Thai e sem camiseta (peito nu).
  • Não é permitido o uso de sapatilhas, camisa, camiseta, etc. Se necessário o lutador poderá usar tornozeleira ou faixas nos pés e canelas.
  • Objetos e ornamentos feitos de metal também são proibidos.
  • O lutador deverá portar protetor bucal, genital (sempre por baixo do calção) e bandagens nas mãos, que serão vistoriados pela organização do evento. (OBRIGATÓRIO)
  • O uso de vaselina ou qualquer outro tipo de óleo em excesso, que venha causar desvantagem ao oponente é proibido.
  • As luvas de 10 Oz. serão cedidas pela Comissão Organizadora do evento minutos antes do combate. Não poderão usar outras luvas a não ser aquela escolhida pela Comissão Organizadora.
  • A bandagem é obrigatória, devendo medir de 3 a 5 metros de comprimento e de 04 a 05 cm de largura.
  • A bandagem ou gaze deve ser colocada nas mãos e bem fixas para que não saia das luvas. É absolutamente proibido endurecer a bandagem ou aplicar qualquer outro material.
  • As bandagens serão colocadas nos vestiários e deverão ser controladas pelo árbitro antes de serem colocadas as luvas no início do combate.
  • Poderá acontecer em torneio, que a organização peça aos atletas para se apresentarem já com as luvas, nesse caso, haverá um responsável para fazer a inspeção no vestiário.
  • Os lutadores deverão usar protetor de pé e canela de elastano ou sintético, de uso pessoal. Passará por revista pelo árbitro. Caso o mesmo não se encaixe nos padrões, não será permitida o seu uso.
  • O uso da coquilha (protetor genital) e protetor bucal é obrigatório em todas as idades e classes masculinas

Classe feminina:

  • 18 anos acima – material de luta: luvas de 10 onças – protetor de seios.
  • As lutadoras deverão usar protetor de pé e canela de elastano ou sintético, de uso pessoal. Passará por revista pelo árbitro. Caso o mesmo não se encaixe nos padrões, não será permitida o seu uso.

TEMPO DE LUTA, COMPOSIÇÃO DO GRUPO DE ÁRBITROS E OUTROS DISPOSITIVOS :

  • Cada luta terá duração de 2 Rounds de três minutos cada por 1 descanso.
  • Lutador menor de idade deve ter autorização, por escrito, dos seus pais ou responsável legal.
  • Os lutadores devem estar na mesma divisão de peso.
  • Cada lutador poderá ter em seu corner: 01 técnico e 01 segundo, os quais deverão apenas dar instruções ao seu lutador, será proibido brigas e discussões das equipes.
  • Os segundos devem ficar posicionados de maneira que não atrapalhem a visão dos espectadores e jurados, sem andar ou subir em volta do ringue e bater no tablado.
  • A luta terá um árbitro central e três juízes laterais (jurados), formados pela Confederação Brasileira de Kyokushinkaikan Thai-Kickboxing.
  • A luta contará com um responsável pelo cronômetro e gongo, assim como pessoal de staff que ajudarão na coordenação do evento e das lutas.

COMO A LUTA PODERÁ SER DECIDIDA
A luta poderá ser decidida das seguintes formas:

  • KNOCK OUT (KO): quando um dos lutadores, devido a um golpe, cai e não tem mais condição de continuar o combate.
  • KNOCK OUT TÉCNICO (TKO): Quando o árbitro verifica que um dos lutadores não tem mais condições de continuar a luta devido a um corte profundo, por exemplo, mesmo não tendo sido nocauteado.
  • No caso do Knock out técnico, o árbitro poderá também pedir a opinião do médico do evento para tomar a decisão.
  • DESISTÊNCIA: Quando o lutador – ou seu corner (através do lançamento da toalha) – pede para a luta ser interrompida.
  • Decisão do médico.
  • Decisão por pontos.
  • Desclassificação.
  • Empate, Quando não for disputa de TITULO.

O QUE É CONSIDERADO COMO FALTA

  • Quando o lutador age, gesticula ou fala de forma desrespeitosa para com o adversário, corner, árbitros, organização do evento ou público.
  • Quando o lutador usar golpes ou atitudes consideradas proibidas, tais como: Cotoveladas, cabeçadas, mordidas, golpes na região genital, golpes nos joelhos, pressão nos olhos do adversário com a luva, cuspir, usar golpes de judô ou Wrestling para derrubar o adversário (as quedas usando o quadril), ficar caindo intencionalmente (dentro ou para fora do ringue), desobedecer às ordens do árbitro, infração que venha causar ao adversário a impossibilidade de continuar a luta, perderá o combate por falta. Isto no caso intencional.
  • No caso da infração ser involuntária, o árbitro central deverá pedir por “tempo” para que o lutador atingido se recupere. Se o lutador não puder continuar a luta, o árbitro central deverá pará-la e consultar a pontuação dos juízes laterais; a vitória será concedida ao lutador que tiver mais pontos até o momento do incidente.
  • É terminantemente proibido o lutador ou seu corner contestar falhas ou decisões do árbitro ou a comissão organizadora do evento no momento da decisão dos jurados. Qualquer contestação deverá ser encaminhada à organização para ser analisada posteriormente. Por isso é que existe as revanches e profissionalismo sem brigas. Qualquer briga durante o evento a equipe será punida e poderá ser processada pelo departamento jurídico da C.B.K.T.M.M.A. Qualquer briga ou confusão das TORCIDAS, os lutadores poderão ser desclassificados.
  • Demais golpes proibidos : Atacar a coluna do adversário, desferir chutes contra as articulações , utilizar o clinche para não usar a técnica e sim para parar o combate , atacar a nuca , atacar o testículo, olhos ou gargantas , executar torções e chaves.
  • O atleta que durante o combate deixar intencionalmente cair o protetor de dentes, avisará ao árbitro e este interromperá o combate e depois de lavá-lo, colocará outra vez no atleta. Na segunda vez, o arbitro lhe tirará 01 ponto e na terceira vez cessará a luta, sendo o outro atleta declarado vencedor por KOT (nocaute técnico).

QUANDO OCORRER UM KNOCK DOWN

  • O árbitro central inicia imediatamente a contagem de 1 a 10 segundos, o lutador que causou o Knock Down deverá direcionar-se para o canto neutro que esteja mais longe do lutador que caiu.
  • Mesmo que o lutador, antes do término da contagem, pareça recuperado e pronto para continuar o combate, o árbitro deverá prosseguir com a contagem até 10 para a segurança do lutador.
  • O Gongo não salva as contagens protetoras, com exceção no último round.
  • 2 Knock downs no mesmo round indica o termino da lutas.

O árbitro tem que interromper imediatamente o combate quando:

a) – um dos dois lutadores estiver com parte do corpo fora das cordas.
b) – um deles se segurar nas cordas para levantar do chão ou para reentrar no ringue.
c) – um deles for golpeado e não estar em condições de continuar o combate.
d) – mesmo estando de pé, um dos lutadores demonstrar sinais evidentes de impotência, cansaço ou incapacidade de se defender.
e) – um dos lutadores não estiver em condições de continuar o combate. Neste caso, mandará o adversário ao corner neutro e deverá imediatamente iniciar a contagem protetora.
O árbitro tem a obrigação e contar até 8 segundos. Ao final da contagem protetora, o atleta atingido lhe indicará se quer continuar o combate, levantando os braços. É facultativo ao árbitro central parar a luta se um dos lutadores, a seu juízo, não estiver em condições de continuar lutando. Em caso de ferimento ou sangramento de um ou dos dois atletas, o árbitro central deverá parar a luta e pedir intervenção médica.

É do médico o direito de estabelecer se o atleta está ou não em condições de continuar, observando:

A) – se o lutador está ferido, o árbitro paralisa o combate e concede 01 minuto de tempo (a fim de que o médico ou técnico possam intervir) para que o mesmo volte ao combate.
B) – se o sangramento de um dos lutadores não parar no tempo concedido, o árbitro terminará definitivamente o combate e analisará, junto com os jurados, se o golpe foi válido ou não. Se o golpe foi válido, dará a vitória ao adversário, sendo que, o resultado será por KOT (nocaute técnico). Se não for válido o golpe, o árbitro deverá desclassificar o adversário por técnica inválida.

PONTOS DE ATAQUE

  • Cabeça: frente e lado
  • Tronco: frente e lado
  • Pernas: frente, lado externo e interno, atrás (joelhadas,chute circular e giratório).

Golpes válidos:

  • Socos: todos do boxe inglês e golpe giratório com a costa da mão.
  • Chutes: Todos, valendo atingir cabeça, tronco e pernas.
  • Joelhadas: Todas, valendo atingir cabeça, tronco e pernas.
  • Clichê é válido desde que haja progressão do golpe ou seja sempre em continuidade. Agarrar e aplicar joelhadas . Se usar o clichê somente visando agarrar o adversário , será advertido e posteriormente descontado como falta.
  • Serão válidos chutes nas pernas (coxa e panturrilha), com chutes circulares e giratório. Nunca chutando na parte frontal do joelho.
  • Segurar a perna do adversário por um tempo máximo de 3 segundos, para chutar, socar ou aplicar joelhadas. Neste caso é permitido somente uma técnica e após isto deve soltar imediatamente a perna do adversário, se não o fizer é considerado falta.

ARBITRAGEM

  • Durante o transcorrer do combate o árbitro central fará uso das seguintes ordens : STOP (pare), BREAK (separar), FIGHT (luta).
  • BREAK (separar) – para fazer com que os atletas separem-se e reinicie imediatamente o combate após dar um passo para trás.
  • STOP (pare) – para fazer os atletas pararem.
  • FIGHT (luta) – para iniciar ou reiniciar o combate.
  • O árbitro central deve interromper o combate quando um dos atletas utilizar-se de golpes proibidos e nesse caso deverá :
  • Advertir verbalmente o infrator.
  • Advertir oficialmente pronunciando aos jurados.
  • Penalizar em um ponto sinalizando aos jurados de forma clara.
  • Desclassificar.
  • O árbitro central poderá utilizar-se de qualquer desses casos conforme a gravidade da falta.
  • Para impor as penalidades, o árbitro deverá interromper o combate com a palavra STOP (pare) e dirigindo-se ao cronometrista, dirá a palavra TEMPO, para parar o cronômetro. Advertirá o atleta infrator e utilizará sinais manuais para que também o público entenda o que está acontecendo. Em seguida assinalará a penalização e se for o caso recomeçará o combate com a palavra FIGHT.
  • Quando dois atletas estiverem agarrados em clinche, o árbitro central deverá interromper o combate com a palavra BREAK. Os atletas deverão afastar-se com um passo para trás e recomeçar o combate.
  • Nos casos dos atletas continuarem o clinche, mesmo após o comando de BREAK do árbitro, o mesmo deve pronunciar STOP (pare), separar os atletas e reiniciar o combate com a palavra FIGHT.
  • O Combate deve ser arbitrado com um árbitro central e 03 jurados laterais, neste caso, não cabe ao árbitro central o direito ao julgamento.
  • O árbitro deve se movimentar no ringue de forma que sua visão esteja sempre atenta à mesa julgadora e principalmente se posicionando com a visão para os dois atletas, nunca dando as costas de um deles.
  • O árbitro central pode interromper o combate quando na parte externa do ringue houver pessoas que atrapalhem o livre desenvolvimento do combate, ou mesmo se o técnico ou auxiliar incitarem seu atleta em voz alta ou insultarem o árbitro ou jurados, neste último caso, se for com gravidade, o árbitro central desclassificará o atleta.

O árbitro central deve interromper o combate e dirigir-se a mesa central solicitando tempo quando:

a) – um atleta está caído após ter sido atingido por uma técnica proibida
b) – quando um dos atletas ou os dois caem do ringue.
c) – quando o piso está muito molhado

Em caso de acidente, o árbitro central interromperá o combate e chamará o serviço médico. Cabe ao médico autorizar ou não o atleta a continuar o combate. No caso negativo, o árbitro central deve reunir-se com os jurados e obedecer ao dispositivo:

  • Se o golpe foi acidental, o atleta que não puder continuar perde por K.O.T.
  • Se a ferida foi causada por um golpe irregular , o atleta será desclassificado.
  • Em caso de Knock Down (nocaute), após encaminhar para o corner neutro o atleta que está de pé, o árbitro deve dar início à contagem protetora, que deverá ser cadenciada em intervalos de 01 segundo, até o número de oito (8). O atleta deve demonstrar que tem condições de continuar a combater, levantando a guarda e caminhando para frente a pedido do árbitro. No caso do atleta demonstrar que não está em condições de continuar o combate, o árbitro encerrará o combate decretando o nocaute.
  • O árbitro deve abrir a contagem protetora mesmo se o atleta não estiver caído, quando perceber que o mesmo não reúne condições de continuar o combate.
  • O árbitro pode encerrar o combate, mesmo sem fazer o término da contagem, quando perceber que o mesmo não pode continuar a combater. Neste caso ele deve retirar imediatamente o bucal do atleta caído e todo o procedimento a seguir deverá ser realizado pelo médico, que será imediatamente ao ringue.
  • O árbitro deve agir sempre visando preservar a integridade física dos atletas.
  • Quando iniciada a contagem protetora, o cronometrista não deve dar o sinal acústico ou visual de término do round, esperando o árbitro finalizá-lo. Se o atleta voltar ao combate, e o tempo do round estiver terminando o cronometrista encerra imediatamente o round.
  • Somente no último round da luta, o cronometrista deve emitir o sinal acústico ou visual, avisando sobre o encerramento do combate, interrompendo assim, a contagem protetora.
  • Terminado o combate, o árbitro encaminhará os lutadores aos seus respectivos corners, ficará aguardando os jurados darem o julgamento oficial, recebendo deles as papeletas assinadas, verificando-as e entregando-as à mesa central. Caberá ao diretor de mesa fazer as necessárias verificações e decretar o resultado final, com base estritamente nas pontuações dos jurados.
  • O árbitro deve verificar se todas as papeletas estão preenchidas corretamente e assinadas, caso não esteja, deve pedir ao jurado para preenchê-la corretamente e após isto entregá-las a mesa.
  • Antes da leitura do veredicto, o árbitro deve estar no centro do ringue virado de frente a mesa central, segurando o punho dos lutadores. Após a leitura do veredicto, levantará o braço do vencedor.
  • Os jurados se sentarão um em cada lateral do ringue e nunca em frente à mesa central e terão de julgar os combates com a máxima imparcialidade, responsabilidade e profissionalismo.
  • A decisão de um árbitro ou jurado, só pode ser revogada em duas situações : A) – quando o resultado não estiver de acordo com o regulamento. B) – quando o jurado tenha cometido erro de soma de sua pontuação, o qual resulta um veredicto errado.

COMO OS JUIZES PONTUAM

Os juízes observarão e considerarão o seguinte para efeitos de pontuação:

  • Socos, chutes, joelhadas, esquivas, defesa, agressividade, combatividade, a qualidade técnica dos golpes, a força, a acuidade (se os golpes estão acertando o adversário) e qual o efeito que eles causam no oponente.

PONTUAÇÃO

  • A pontuação funciona no sistema de 10 pontos por round.
  • O lutador que ganhou o round levará 10 pontos; o outro 9 pontos.
  • Se tiver ocorrido um Knock down, o ganhador do round leva 10 pontos e o outro 8 pontos.
  • No caso de empate no round, cada lutador leva 10 pontos.
  • Ao final da luta, os juízes laterais deverão passar os cartões com a somatória dos pontos para o juiz central, o qual comunicará ao locutor oficial do evento o resultado.
  • No caso de empate, haverá um round extra e o vencedor será aquele que melhor se sair neste round. Isto em disputa de títulos (valendo um cinturão), em eventos sem disputa de títulos poderá apenas haver um empate.

Nos combates o Knock down tira 02 pontos dos atletas conforme demonstrado abaixo:

A – Quando o atleta vermelho (V) está vencendo o atleta de Azul (A) por 10 a 9 e sofre um Knock down, perde dois pontos.
V (10) a A (9) passa a ser => V(8) a A (9)

B – Quando o atleta de vermelho (V) está empatado com o atleta de Azul (A) em 10 a 10 e o atleta azul sofre um Knock Down, retira-se dois pontos do atleta de Azul
V (10) a A (10) passa a ser => V (10) a A (8)

C – Quando o atleta de vermelho (V) e o atleta de Azul (A) estão empatados no mesmo round e o atleta Azul (A) sofre 02 Knock Down, o atleta perde 03 pontos.
V (10) a A (10) passa a ser => V (10) a A (7)

D – Quando o atleta vermelho (V) e o atleta Azul (A) estão empatados e cada um sofre um Knock Down, cada um perde dois pontos, passando a ser 08 a 08.
E – Se um atleta receber dois Knock Down e seu adversário um no round, o atleta que impôs os dois Knock Down vence o round por 08 a 07.

JULGAMENTO DO COMBATE

É permitida a pontuação empatada no round e no resultado final da luta.
O resultado final do combate é definido pela observância da maioria dos três jurados.

Exemplo 01 : Vermelho Azul
Jurado 1 29 30
Jurado 2 30 30
Jurado 3 29 30
Resultado ; Vencedor Azul por 02 votos e 01 empate.

Exemplo 02 : Vermelho Azul
Jurado 1 30 29
Jurado 2 30 28
Jurado 3 30 29
Resultado : Vencedor Vermelho por unanimidade

Exemplo 03 : Vermelho Azul
Jurado 1 30 30
Jurado 2 29 29
Jurado 3 29 29
Resultado : Vencedor Vermelho por 2 votos a 1

Exemplo 04 : Vermelho Azul
Jurado 1 30 30
Jurado 2 29 29
Jurado 3 29 29
Resultado : Empate

Exemplo 05 : Vermelho Azul
Jurado 1 30 30
Jurado 2 30 29
Jurado 3 30 30
Resultado : Empate por 02 votos a 1

Quando a luta for empate, os critérios são :
1 – Extra Round

O VEREDICTO

O combate pode acabar por :
A) – Pontos, ou seja, os lutadores terminarem em pé o combate.
B) – KO (Nocaute), quando um dos atletas recebeu contagem protetora até 10 e não demonstrou sinais de poder ou querer recomeçar o combate, ou ainda, se o árbitro dispensou a contagem quando o atleta necessitou de cuidados médicos.
C) – KOT (Nocaute técnico).
1 – Quando o árbitro intervém para suspender o combate visto a inferioridade de um dos atletas.
2 – Quando no decorrer da luta é lançada a toalha ao ringue.
3 – Quando do decorrer da luta, um dos lutadores desiste da mesma.
4 – Quando ocorrer o 2 Knock Down no round ou 3 na luta.
5 – Quando um dos atletas não retornar do intervalo.
6 – Quando o médico intervém na luta, impedindo que um dos atletas prossiga, por ferimento ou contusão.
D) – Decisão médica, ou seja , quando o médico declara que um dos dois atletas está impossibilitado de continuar o combate, e declara o KOT (nocaute técnico).
E) – Desclassificação de um dos dois atletas por falta grave cometida pelo lutador ou por seus segundos, e decretando o KOT (nocaute técnico).
F) – Empate, no caso dos dois atletas serem julgados assim pelos três jurados. Esta situação pode ocorrer somente em lutas extra-oficiais.
G) – Quando um atleta cair do ringue ou sofrer algum acidente causado pelo mesmo, deve se observar :
1 – Se um ou os dois atletas caem acidentalmente do ringue, tem 1 minuto para se recuperar.
2 – Se um ou os dois atletas caem acidentalmente do ringue e um deles não tem condições de continuar, perde por abandono.
3 – Se os 2 atletas caem acidentalmente do ringue e um deles não tem condições de continuar, a luta é dada como sem resultado. No caso de Torneio, sem vencedor.
4 – Se o atleta foi atirado intencionalmente pelo adversário, o mesmo tem 01 minuto para se recuperar e o adversário será penalizado em 01 ponto.
5 – Se o mesmo foi atirado pelo adversário e não tem condições de continuar (algo que deve ser analisado pelo árbitro central, jurados e médico), o adversário é desclassificado.
6 – No caso de qualquer outro tipo de acidente ocorrido no ringue, como torção de articulação do membro inferior causado por escorregão, pisar fora do ringue, etc., concede-se 01 minuto para o atleta se recuperar e continuar o combate.

  • No caso de choque com a cabeça, havendo a seguir corte de um ou dos dois lutadores, o árbitro deve adotar o seguinte procedimento :

1 – Verificar com os jurados, se o golpe foi intencional ou não, valendo-se também de sua opinião.
2 – No caso de intencional e o atleta cortado não puder continuar o combate, o infrator será desclassificado.
3 – No caso de intencional e o atleta cortado puder continuar o combate, o infrator é penalizado em 01 ponto.
4 – Choque sem intenção e sem corte, o combate continua normalmente.
5 – Choque sem intenção e se um ou dois atletas não puderem continuar:
A) – No primeiro round, luta sem resultado
B) – Do segundo round em diante, lê-se as papeletas e dá-se a vitória aquele que vencia até o momento.

O TÉCNICO

  • É permitido ao atleta o acompanhamento de no máximo duas pessoas no ringue (técnico e seu auxiliar). Durante o combate deverão manter silêncio podendo falar a seu atleta somente no intervalo. Durante o intervalo, somente 01 poderá entrar no ringue, o outro deverá manter-se na borda do mesmo.
  • Logo após a frase “SEGUNDOS FORA”, deverão descer prontamente do ringue, retirando todo seu material e colocando-se de modo a não atrapalhar a visão do público. Essa atitude deve ser rápida para não atrasar o andamento do combate.

O AUXILIAR

  • O técnico é autorizado a interromper o combate se observar que seu atleta não reúne condições técnicas ou físicas para continuar, bastando jogar a toalha ao ringue.
  • Os segundos são obrigados a respeitar as autoridades, o público, bem como seus adversários, seguindo rigorosamente o regulamento.
  • É de sua responsabilidade assistir seus atletas antes, durante e depois do combate, sendo responsável por seu comportamento dentro e fora do ringue, de vigiar também que seu atleta não utilize qualquer substâncias proibida, por meio líquido ou não, sendo diretamente responsável por tal atitude.
  • De manter o silêncio durante o combate. Só poderá falar com seu atleta durante o intervalo. O segundo que não seguir o regulamento, poderá ser advertido e estar sujeito ao regulamento disciplinar.

PARA COMPETIR

  • Todo lutador deverá estar cadastrado pela Confederação Brasileira de Kyokushinkaikan Thai-Kickboxing e estar com sua carteira com a validade em dia, pois a apresentação da carteira na hora do evento é indispensável.
  • Todos os treinadores deverão ter a responsabilidade de levar somente lutadores muitos bem treinados e com boa saúde, pronto para lutar Muay Thai.
  • Para competir todos os lutadores deverão providenciar : atestado médico e a ficha de competição preenchida e devidamente assinada; teremos um banco de dados de todos os lutadores.

TODAS AS EQUIPES DEVERÃO EVITAR

  • W.O. Não comparecimento, isto só prejudica o evento. Tenha sempre reservas na sua equipe, todas as equipes deverão trabalhar com muito profissionalismo.
  • No caso de colocar um reserva para a luta marcada, a equipe deverá comunicar a Confederação, pois a mesma que casa, organiza as lutas. Lembre-se, nosso trabalho é muito sério.

SISTEMA DE COMPETIÇÕES

  • Brasileiro = sem o uso de cotoveladas – sistema amador;
  • Campeonatos Paulista e Brasileiro o sistema será pelo de Chaves, ou seja, eliminatória simples até chegar ao Campeão do evento.

PESAGEM

  • Será realizada antes ou no dia evento. Caso o atleta esteja muito fora de peso daquele em que foi inscrito será desclassificado.
  • Se a pesagem for realizado no dia do evento, ele tem que bater no peso certo.
  • Caso haja muitos atletas fora de peso o card poderá ser modificado em comum acordo entre dirigentes e atletas.
  • Na operação da pesagem só participarão o atleta e seu técnico ou responsável pela equipe. Se no momento da pesagem o atleta estiver fora do peso, este terá somente um único controle de peso posterior para estar no peso correto. O atleta que não estiver na sua categoria, será retirado do torneio.
  • Se dois atletas que irão se confrontar-se na mesma categoria estiverem acima do peso, os dois serão eliminados do Torneio.

UNIÃO

  • Devemos todos trabalhar com muito profissionalismo, sejamos unidos e com muita disciplina.

DISPOSIÇÕES GERAIS

  • Qualquer situação que aconteça durante o evento que não esteja listada nas regras acima serão consideradas exceções.
  • As exceções serão tratadas pela organização na hora do evento.
  • No caso de exceções, a decisão da organização do evento é soberana.
  • Toda e qualquer decisão deverá ser notificado aos dirigentes, organizadores e técnicos das equipes, para uma justa imparcialidade da mesma.
  • Objetivamos realizar evento de ótima qualidade tanto estrutural, organizacional e técnico, mostrando o nosso trabalho na difusão e crescimento da arte marcial.
  • As políticas de cada Federação e ou Organização não nos interessa, pois quem perde são os próprios dirigentes e atletas.
  • Fazemos um trabalho justo e esperamos que as pessoas que participem dos nossos eventos também sejam justas e corteses, pois com arrogância não se consegue nada nesta vida.